Entrevista Chef Flavio Amaral

0

A BBMag traz mais uma entrevista exclusiva, dessa vez com o Chef Flavio Amaral

1­– Vamos começar com seu nome completo, local de nascimento, lugares onde já morou…

R: Sou Flavio Enadro da Silva Amaral, nasci em Betim, Minas Gerais. No Brasil, já morei no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, respectivamente. No Reino Unido, em Bucks, Costwold, Shophire e Wales.

2 – Conte-nos um pouco sobre a sua história em Londres.

R: Cheguei em Londres em 2003. Meu primeiro emprego foi na cozinha de um Pub que ficava fora da cidade e a comida era tradicionalmente inglesa (tortas, carne de caça…). Aprendi muito na cozinha e também o idioma. Depois fui para Costwold, onde trabalhei em um hotel, mas não fiquei por muito tempo. Logo em seguida, fui para Wales trabalhar como Private Chef e estudei no Hereford Technologic College. Ganhei muita experiência cozinhando com grandes personalidades do Reino Unido, como, Jaime Oliver e Rose Gray, e recebíamos pessoas influentes como os ex-presidentes dos Estados Unidos, Bill Clinton e Jimmy Carter, além de outras celebridades do mundo todo. Alguns anos depois, me mudei para Shophire e trabalhei no Pub do Chef Michelin Star, Claude Rossi, porém, acabei voltando para Londres e trabalhando em alguns restaurantes, até finalmente, ingressar na Embaixada do Brasil, onde estou atualmente, na posição de Head Chef.

3 – Qual é a principal dificuldade de trabalhar como Chef fora do seu país?

R: Não acredito que haja dificuldade em trabalhar como Chef brasileiro em Londres. Claro que existe toda uma cultura e dificuldades da profissão, mas não necessariamente por ser brasileiro. Especialmente em uma cidade cosmopolita como Londres, esse tipo de barreira em relação à nacionalidade não existe.

4- Com respeito aos ingredientes: você é favorável a encontrar os originais ou a fazer adaptações e usar ingredientes tipicamente ingleses?

R: Ao longo dos cinco anos trabalhando na Embaixada, construímos uma rede de fornecedores que torna possível ter fácil acesso a ingredientes brasileiros.

5 – Qual é o seu prato predileto? E qual o que te dá mais prazer de preparar?

R: Como um bom mineiro, e até pela ausência de mar em Minas Gerais, adoro tudo que leve frutos do mar.

6- Como você vê a gastronomia brasileira hoje no exterior?

R: Acredito que após o mundo descobrir Chefs como Alex Atala, Roberta Sudbrack e outros nomes, começaram a enxergar a gastronomia brasileira com outros olhos.

7– Em tempos de culto à saúde e combate ao colesterol, você acredita que a gastronomia poderá mudar drasticamente?

R: Há, ainda, muito a evoluir e ser difundido. Infelizmente, não possuímos o apoio que merecíamos. Foi quando surgiu a minha ideia de criar o “Brazilian Taste Gastro show”.

8 – Se você fosse fazer AGORA um jantar especial para alguém: para quem seria, e o prepararia?

R: Gostaria muito de cozinhar para o juiz Sergio Moro, como forma de agradecimento pelo o que ele tem feito pelo Brasil. Algo bem inglês, para apresenta-lo a sabores diferentes dos quais ele tem o costume de comer no Brasil.

9- Quando não está cozinhando, o que costuma fazer nas suas horas livres?

R: Ultimamente tenho me dedicado ao curso de Food Science, da London South Bank University, e a alguns projetos.

10- Se não fosse Chef, que outra carreira gostaria de seguir?

R: Talvez seria médico, para oferecer alivio às pessoas que sentem dor.

11 – Que conselho poderia dar para alguém que está pensando em entrar nesta área? 

R: Siga os seus sonhos, estude para adquirir conhecimento e trabalhe duro.

12- Dentro de uma cozinha, o que é mais importante para ser um bom Chef? Talento ou competência (além, claro, de saber cozinhar)?

 R: Creio que seja necessário um pouco dos dois. Além da garra e fibra para encarar os desafios de um ofício que, nos últimos tempos, vem sendo ”glamourizado”.  E não existe todo esse glamour no dia a dia da profissão.

13- Quais Chefs o influenciaram? Em quem mais se espelha?

 R: Primeiramente, como bom mineiro, a inspiração veio de casa, pois somos criados dentro da cozinha desde pequenos. Depois, vieram Chefs como Heston Blumenthal e Ferran Adrian.

14- Qual foi a repercussão do Brazilian Gastro Show – evento criado por você e que aconteceu em Londres no mês passado.

 R: O “Brazilian Gastro Show” foi um sucesso. O evento é uma forma de contribuição para divulgar a nossa culinária brasileira aqui na Europa. Todos os envolvidos ficaram muito felizes com os resultados.

15- E o futuro? Já com muitos planos?

 R: O meu grande sonho é ter um restaurante conceituado e exclusivamente brasileiro aqui em Londres. Tenho alguns projetos em andamento, vamos ver se conseguimos realizar um grande evento no Brasil em breve.

Compartilhar.

Sobre o Colunista:

Bossa Brazil Magazine

A Bossa Brazil Magazine, disponível gratuitamente a todos os leitores no Reino Unido, garante que nossos anunciantes sejam beneficiados 100% com o nosso público alvo. Os pontos de distribuição estarão espalhados pelo Reino Unido, incluindo estabelecimentos brasileiros, bares e restaurantes, centros culturais, escolas, cinemas, teatros, festivais e muito mais...

Deixar Mensagem