André Luz , o cantor e percursionista que vem encantando Londres

1

André Luz , o cantor e percursionista que vem encantando LondresCom uma vasta experiência em mais de 20 anos de estrada, André Luz chamou a atenção da BBMag em vários eventos e locais onde vimos suas apresentações.

Resolvemos bater um papo com ele e trazer o resultado disso para que você também se encante com a voz e a seleção refinada da boa música brasileira em suas apresentações. Com vocês, André Luz.

BBMag – André, comece nos contando de onde você é, da sua família, da sua infância.
AL – Sou do interior de SP, de uma cidade chamada Amparo, no Circuito das Águas. Minha mãe ainda vive lá, mas meu pai faleceu há três anos. Minha infância foi muito boa, vida de menino criado no interior: jogar bola no parque, tomar banho de rio e cachoeira, encontrar os amigo para um bom papo e muita música.

BBMag – E você foi daqueles que desde pequeno batucava nas panelas ou só foi se interessar por música um pouco mais grandinho? Como foi esse ‘despertar’ para a música? 

AL –  (Risos) Foi bem assim mesmo! Desde pequeno eu já batucava em tudo: panelas, carteiras da sala de aula, latões de lixo etc. A música sempre fez parte da minha vida. Lembro que, bem pequeno, adorava ouvir meu pai cantando pela casa. E, pra completar, a escola de samba do bairro ficava a 50 metros da minha casa. Eu vivia metido nas rodas dos meninos mais velhos da cidade, dos músicos, ficava ali observando, aprendendo, vivenciando aquela atmosfera cultural incrível… Pra mim, música sempre foi cultura, sempre tocou a alma. É difícil explicar de onde e como surgiu, era intrínseco, vinha de dentro, desde menino sabia que este seria meu caminho.

Além da escola de samba que me encantava, comecei a fazer parte de um grupo de jovens da igreja. Tínhamos um grupo de música e, todos os domingos, cantávamos músicas católicas.

BBMag – Quando você decidiu que era isso que queria fazer profissionalmente? Conta pra gente também quais as suas maiores influências musicais.

AL – Com 15 anos, eu e alguns amigos montamos um grupo de samba, ensaiávamos todos os dias e alguns músicos mais velhos começaram a curtir nosso som e se juntaram a nós. Daí pra frente, começamos a fazer shows em alguns bares da cidade e região. Logo fomos chamados para acompanhar o grande Jair Rodrigues em algumas apresentações que ele fez para uma campanha política em Amparo. Fizemos shows com ele, e eu era apenas um menino de 15 anos, achando tudo aquilo o máximo! Depois, montei outra banda, Bandoleiros, que fez bastante sucesso em toda a região e, a partir daí, ser cantor já era minha profissão. Fazíamos shows praticamente todos os dias, não só no Estado de São Paulo, mas também em Minas Gerais, tocando em festivais, durante o carnaval, bares, eventos etc.

Depois, fui estudar no Conservatório de Tatuí, onde tive a oportunidade de aprender com grandes mestres, pessoas que foram de grande importância na minha vida pessoal e profissional.  Me formei em canto popular, MPB/Jazz. E de lá vêm muitas das minhas influencias musicais. Também não posso de deixar de registrar alguns grandes ícones da MPB como Djavan, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Elis Regina, Tom Jobim, Tim Maia, Emilio Santiago, Lenine, Ed Motta entre tantas outras influências que seria impossível citar todos aqui.

andre-luz-img_7255BBMag – Nesses mais de 20 anos atuando, qual foi sua apresentação mais marcante? Pode nos contar alguma curiosa ou engraçada também?

AL – Difícil dizer exatamente qual foi a mais marcante, cada show é um show, e cada um deles nos traz experiências diferentes. Mas tem uma que sempre recordo: uma apresentação no Festival de Inverno do Circuito das Águas, que fizemos ao lado de grandes artistas e para um público imenso que interagia conosco durante todo espetáculo.

BBMag – Mas… Como você veio parar em Londres?

AL – Sempre tive uma curiosidade musical muito grande, chegou um momento em que precisava sair da minha zona de conforto e explorar novos horizontes, novas ideias, novos estilos. Decidi, então, seguir meu instinto e vir para a Europa, ampliar meu conhecimento, ficar exposto à novas influências e, é claro, divulgar nossa cultura e música. Um amigo, músico, tinha acabado de voltar para Amparo e meu deu várias dicas daqui de Londres. E como o universo sempre conspira a favor de quem está em busca de crescimento, tive a oportunidade de ter outro grande amigo que já morava aqui e foi de grande importância para a minha adaptação.

BBMag – Então, está super adaptado? O que você faz nas suas horas livres? Quais são seus interesses além, obviamente, da música?

AL – Super adaptado, mas com muita saudade do calor do Brasil (risos). Horas livres? Estudo, ensaio e estou sempre pesquisando novas músicas para o meu repertório. Adoro  fazer uma costela e juntar bons amigos para beber, dar risada e fazer música. Tenho a sorte de ter feito grandes amigos aqui, o que ajuda a aliviar a saudade da nossa família e amigos do Brasil. Eu e minha esposa adoramos receber os amigos em casa para jantar, pra fazer um churras, a casa está sempre cheia! Também procuro ir a outros shows pra ouvir boa música e expandir os horizontes. Adoro viajar e um bom futebol.

BBMag – Pra finalizar, quais são os próximos passos da carreira e da vida?

AL – Acabou de sair do forno meu primeiro álbum independente. Chama-se ‘Tempo’. Foi um trabalho feito minuciosamente, com uma equipe de primeira. Na produção, tive a parceria de um grande profissional, que entendeu exatamente minhas ideias, meu objetivo e ajudou a transformar esse trabalho em algo incrível que, sem dúvida, conseguiu refletir minha essência musical. O álbum tem composições de grandes amigos e artistas da música brasileira como Roberto Menescal, Joyce Moreno, Paulo Cesar Pinheiro, Carlos Lyra, Jesse Santo, Fernanda Rabelo, Diego Dimadu, Ronaldo Pizzi, Rodrigo de Castro e Tiago Zampieri.

Músicos de primeira me acompanharam neste trabalho, e cada faixa traz aquele suingue gostoso do nosso Brasil, uma mistura de Samba, Bossa Nova e MPB. Cada arranjo foi inspirado e construído com o intuito de levar o público a experimentar sentimentos inusitados que a boa musica nos traz. São músicas para ouvir a qualquer hora, a qualquer tempo. O álbum está disponível para venda em todas as plataformas digitais como iTunes, Deezer, Spotify, e também em meu website.

Agora estamos planejando uma festa de lançamento do álbum, e sairemos em turnê para a divulgação do trabalho. E, claro, já estou trabalhando na pesquisa do meu próximo projeto…

 

Compartilhar.

Sobre o Colunista:

Bossa Brazil Magazine

A Bossa Brazil Magazine, disponível gratuitamente a todos os leitores no Reino Unido, garante que nossos anunciantes sejam beneficiados 100% com o nosso público alvo. Os pontos de distribuição estarão espalhados pelo Reino Unido, incluindo estabelecimentos brasileiros, bares e restaurantes, centros culturais, escolas, cinemas, teatros, festivais e muito mais...

1 Comentário

  1. Francisco Rocha Porto em

    Meu conterrâneo,amigo André Luz,é inegável o valor dêsse intérprete da MPB/Brasil.Êle é brilhante,inegávelmente já desponta no cenário artistico musical na Europa.
    Francisco Rocha Porto/Amparo-S.P.

Deixar Mensagem