Bossa Nova: do Brasil para o Mundo

0

Conheça o ritmo brasileiro que conquistou gerações no cenário internacional da música

 

“É pau, é pedra, é o fim do caminho, é um resto de toco, é um pouco sozinho…”. Esse trecho é da música “Águas de Março”, de 1974. O ritmo brasileiro, com mistura bem carioca, marcou aquela geração.  Interpretada por Elis Regina e Tom Jobim, a canção foi longe. Virou tema de filme, sendo interpretada por Charlie Sheen, o premiado ator americano de Platoon e Wall Street.

A Bossa Nova surgiu entre as décadas de 50 e 60. O nome “bossa” é, no Brasil, uma gíria, que faz referência a uma habilidade ou talento natural. A partir daí, nasce um novo conceito no mundo da música, mais conhecido como “nova tendência musical”. A receita era bem simples: alegria, ritmo e simplicidade. As canções da Bossa Nova falam da vida, do amor e do dia a dia das pessoas. As letras são recheadas de muita energia brasileira, transformando a vida em versos, prosas e melodias.

 

Geração de músicos
Qual desses nomes você já ouviu falar? Antônio Carlos Jobim, Elis Regina, Miúcha, Caetano Veloso, Vinicius de Moraes, Toquinho, João Gilberto… Talvez não se recorde só pelos nome, mas com certeza, as famosas canções desses artistas já chegaram aos seus ouvidos. Quer ver só…

 

“Eu sei que vou te amar
Por toda minha vida eu vou te amar
A cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente
Eu sei que vou te amar ♪♪♪”

 

A canção “Eu sei que vou te amar”, de autoria de Vinicius de Moraes, ganhou o mundo. Com uma voz doce   eu jeito cativante de cantar, o poeta deixou como legado uma das canções, até hoje, mais interpretadas por diferentes artistas da música nacional e internacional. Já foi trilha de novelas, filmes, além de embalar muitos amores pelo mundo afora. Quem nunca fez aquela declaração de amor e usou a frase “Por toda minha vida eu vou te amar”? Vinicius e seu parceiro em diversas músicas, Tom Jobim, tiveram grande participação no novo estilo de música, harmonizado e suavizado da Bossa Nova. Uma das grandes produções que marca o momento dessa descoberta é “Se todos fossem iguais a você”.

 

Conquistando a todos
O resultado da Bossa Nova foi melhor que o esperado. A nova tendência musical ganhou potência nas escolas e universidades. Jovens músicos na cidade do Rio de Janeiro se reuniam para ouvir um dos sons que se tornaria um dos mais conhecidos no Brasil e ao redor do mundo. A ideia inicial era transformar o Samba em um novo estilo que pudesse ser usado como protesto popular, com base nos versos e, por  consequência, se tornar um dos ritmos musicais ouvidos pela sociedade como uma expressão revolucionária no mundo da música.

As novas melodias tornaram a Bossa Nova um dos movimentos musicais mais importantes na história da música. Com sua projeção internacional, no verão de 1964, explodiu nos EstadosUnidos a canção “Garota de Ipanema” na voz de Astrud Gilberto, então esposa do compositor João Gilberto, em uma versão que contou com a colaboração do saxofonista de jazz Stan Getz.
João — cantor afinadíssimo, exímio guitarrista e considerado “o pai da Bossa Nova” — trouxe ao ritmo delicadas melodias e harmonias impecáveis, com uma característica de palavras quase que sussurradas aos ouvidos, acrescentando novas notas aos acordes com grande habilidade e sofisticação musical. A
partir daí muitos músicos de jazz gravaram músicas totalmente influenciados pela Bossa Nova.

Alguns grandes nomes da música internacional se apaixonaram profundamente por esse ritmo suave e cadenciado: Dizzy Gillespie, Quincy Jones, Wes Montgomery, Cannonball Adderley, Jimmy Smith e Oscar Peterson. Sem esquecer de Frank Sinatra e Ella Fitzgerald, que gravaram álbuns inteiros com as canções de Tom Jobim.
Porém, apesar da aceitação mundial, muitos artistas nacionalistas criticaram a Bossa Nova por se parecer muito ao Jazz americano. Depois disso, Edu Lobo, Dori Caymmi e Marcos Valle deram início às mudanças, tentando aproximá-la de ritmos brasileiros como o Samba.

 

“Olha
Que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
Num doce balanço
A caminho do mar ♪♪♪”

 

Ritmo que conquistou o público, “Garota de Ipanema”, em 1964, foi uma das canções que potencializou a presença da Bossa Nova no mundo. Tom Jobim conquistou o Grammy de música do ano que teve como concorrência músicos como Beatles, Rolling Stones e Elvis Presley. Assim, a Bossa Nova ganhou força e passou a ser reconhecida mundialmente.

Conheça as letras
Se você quer conhecer mais ou ficou com saudades de canções que já conhece, o YouTube tem uma vasta opção de todas as canções da época de ouro da Bossa Nova.

 

Curiosidade
No Brasil, no dia 25 de janeiro é comemorado o dia Nacional da Bossa Nova. A data coincide com o aniversário de um de seus principais expoentes, o maestro Tom Jobim.

Leitura
Para quem, além de gostar de escutar música, não abre mão de uma boa leitura, a história completa da Bossa Nova pode ser conhecida no livro “A Onda que se Ergueu no Mar”, do jornalista e crítico musical Ruy Castro.

A Bossa Nova foi espontânea e trouxe consigo a força genuína de um Brasil que um dia será tão belo e leve quanto as ondas do mar.

Compartilhar.

Sobre o Colunista:

Lucas Triay Santos

Lucas Triay Santos, Publicitário, 25 anos, atualmente mora em londres e é apaixonado por literatura. Gosta de viajar e estar sempre rodeados de amigos. Sua paixão é a natureza e ama novas aventuras em cidades grandes. Adora degustar um bom vinho e estar em boa companhia

Deixar Mensagem