Moda

A história do jeans tem inicio em Nimes, na França, onde o tecido foi fabricado pela primeira vez, por volta do ano de 1792. Ficando conhecido por “tecido de Nimes”, expressão que com o tempo foi abreviada para “denim” O “tecido de Nimes” era utilizado na roupa dos marinheiros do Porto de Genova. Esses marinheiros genoveses tinham o costume de chamar “genes” às suas calças de trabalho. E quando pronunciavam a palavra “genes”, com o habitual sotaque italiano, a expressão acabou por se transformar, com o tempo, em “jeans” e assim se espalhou pelo mundo. Mais tarde, chegou aos Estados Unidos…

Compartilhar.

Usar cabelos de cores diferentes, como rosa ou azul, é algo bem mais antigo do que imaginamos. Existem retratos em pintura que comprovam que as mulheres da realeza francesa e inglesa pulverizavam seus cabelos com um pó especial em meados do século XVIII. Os pós fizeram sucesso e, basicamente, alteravam a cor dos cabelos para tons pastéis mais puxados para o rosa. Com o tempo essa moda foi esquecida, mas voltou junto com os Punks e os Glams. Uma grande referência nessa época era a londrina Soo Catwoman. Nas décadas de 80 e 90 os artistas pops também aderiram à…

Compartilhar.

Hoje em dia, poucos sabem se vestir apropriadamente quando a empresa adota o dress code casual ou a famosa casual Friday. Existem aqueles que confundem casual com esportivo, ou seja, usam roupas apropriadas para um clube e inadequadas para um ambiente profissional Os colaboradores de uma empresa representam a sua imagem e devem, portanto, vestir-se apropriadamente para o ambiente de trabalho e passar a imagem de que respeitam o lugar e as pessoas que ali estão, mesmo quando não há um código de vestir estrito e explicito. Existem profissões onde há uma flexibilidade muito maior no vestir, como, por exemplo,…

Compartilhar.

Apesar dos biquínis brasileiros captarem a atenção do mundo inteiro, quem o inventou foi o francês Louis Réard, quando lançou uma coleção de trajes de banho, em 1946. Na época, o modelo não foi bem aceito pela sociedade, mas com o passar do tempo, e graças à utilização do biquíni nos filmes americanos, principalmente o usado por Brigitte Bardot no filme E Deus Criou a Mulher, o traje começou a fazer sucesso. No Brasil, o biquíni apareceu pela primeira vez em 1948 e, desde então, foi se adaptando aos gostos das brasileiras. Alguns modelos como o “asa-delta” e “fio-dental” são marca…

Compartilhar.

Para romper com estereótipos, o jovem paulista Thiago Rezende, de 34 anos, criou em 2012 o projeto “Homem na Agulha”, onde ao lado do artista plástico Luis Cambuzano, corre o Brasil incentivando os homens a aprender e desenvolver habilidades com tricô e crochê. Eles realizam ações coletivas, intervenções artísticas e também oferecem cursos livres das duas técnicas. Segundo Rezende, a ideia inicial não foi polemizar o que é definido pelo senso comum como tarefas femininas ou masculinas, mas após perceber que o conservadorismo ainda reforçava certos preconceitos, ele decidiu usar o projeto como uma maneira de incentivar a liberdade artística.…

Compartilhar.

A etiqueta corporativa pode ser definida como a capacidade de aprender a usar as habilidades sociais de realizar negócios com cortesia, afabilidade e serviço; é necessária em todos os nossos relacionamentos comerciais e pessoais Sempre que um colaborador se encontra com clientes, a etiqueta corporativa ajuda a representar a imagem da sua empresa e a conduzir as suas relações comerciais. Etiqueta corporativa não é estar condicionado a regras, mas, sim, ter diretrizes para realizar negócios com facilidade, estilo e confiança. Apresentaremos, a seguir, algumas orientações que ajudarão quaisquer profissionais a lidar no seu dia a dia de forma apropriada com…

Compartilhar.

A BBMag entrevistou uma crossdresser brasileira justamente no momento em que o País começa a entender um pouco mais este comportamento de gênero. Até 2015, poucos brasileiros sabiam o que era crossdresser. Poucos, os mais bem informados, já sabiam que, em 2009, Laerte, importante, notável e premiado cartunista, com mais de 30 anos de carreira em quadrinhos, caricaturas, tirinhas de jornal e obras correlatas, havia se apresentado à mídia como Sônia e, desde então, passou a vestir-se diariamente com roupas femininas. Ciente de sua importância no cenário artístico e por ser pessoa notória, com alguma fama, ela encarou o desafio…

Compartilhar.