Um twist brasileiro, per favore!

0

Berço da cultura e da arte europeia e sinônimo de qualidade na gastronomia, a Itália também se destaca pela sua primorosa coquetelaria. Do Americano ao Bellini, o país apresenta sabores incomparáveis e uma identidade única. 

Dentre as mais tradicionais bebidas utilizadas nos coquetéis estão o Limoncello, Fernet, Sambuca, Campari, Aperol entre outras.

Nós apostamos no Negroni. A criação centenária originou-se no Café Casoni, em Florença, quando um cliente, Camillo Negroni, pediu para substituir a soda pelo gin. Desde então o coquetel ganhou o mundo. Em 2020 ganhou a segunda posição entre os coquetéis mais vendidos segundo a Drinks International. Por isso, a este famoso coquetel italiano, vamos adicionar um twist brasileiro!

Originalmente, o clássico usa três partes iguais de gin, vermute e Campari. A partir dessa receita vamos adicionar a nossa famosa cachaça, dessa vez envelhecida em amburana, uma madeira nativa brasileira, para acrescentar um toque único adocicado e amadeirado. A ideia é trazer para o Negroni um sabor brasileiro agradável e novo sem perder a essência original do coquetel, mas adicionando complexidade. Na receita dividimos a mesma proporção do gin e da cachaça, assim mantemos o volume bem próximo ao original.

 

Ingredientes

12.5 ml de Gin

12.5 ml de Cachaça Envelhecida em Amburana

25 ml de Vermute Doce

25 ml de Campari

 

Modo de preparo

Coloque o gelo num copo baixo, acrescente as doses de gin, cachaça, Campari, e vermute doce, misture bem e decore o copo com uma rodela de casca de laranja.

 

 

Compartilhar.

Sobre o Colunista:

Hugo Tolomei

Economista, especialista do mercado de bebidas, fundador da House of Cachaça, além de dirigir a IMC Drinks, empresa que promove o desenvolvimento de bebidas brasileiras no exterior.

Deixar Mensagem